Web Summit Lisboa com arena lotada vira exemplo de retomada grandes eventos

“Estamos de volta”, avisou o ministro da Economia e da Transição Digital de Portugal, Pedro Siza Vieira, na retomada do Web Summit, que começou nessa segunda-feira (1) em Lisboa. O “astral” da arrancada de um dos maiores eventos de tecnologia do mundo foi destacado pela comitiva da CDL Porto Alegre, que está na capital portuguesa em busca de inovações.

A transformação digital está no foco. O evento atrai 40 mil participantes. Somente na arena de abertura estavam 11 mil deles. A imagem do local tomado pela comunidade ligada à inovação e tecnologia também vira teste em meio à flexibilização de medidas em relação à pandemia, graças ao avanço da vacinação.

A conferência é uma das maiores que começa a ser realizada no retorno. Grandes eventos são decisivos para mover toda a economia local, desde serviços de hotelaria, gastronomia e turismo, observa a comitiva da câmara lojista. “Portugal vira símbolo de que há condições de avançar para a próxima normalidade”, observa o gerente de marketing e inovação da CDL-POA, Rafael Guerra, que estava na abertura.

Na abertura, só para dar ideia do que vai vir pela frente, estavam a co-fundadora do movimento Black Lives Matter (Vidas Negras importam), Ayo Tomit, e a ex-funcionária do Facebook Frances Haugen, que despontou como defensora da regulação das redes sociais.

O presidente da CDL Porto Alegre, Irio Piva, destaca, em post no Instagram da Entidade, que a presença em Lisboa é “uma oportunidade rara de absorver tantas informações sobre inovação e tecnologia, além de vislumbrar soluções imediatas e futuras para problemas atuais”.

Recentemente, estudo sobre transformação digital no varejo da Capital, feita pela CDL e a Vitamina Pesquisas, mostrou que 40% dos comerciantes são “digitalmente principiantes”, que significa que estão começando a aplicação de ferramentas. Já 31% são digitalmente engajadas, 17% digitalmente avançadas e apenas 12% digitalmente inovadoras. 

A CDL Porto Alegre instalou este ano uma base no Instituto Caldeira, um dos maiores hubs de inovação do Estado, para desenvolver conexões e impulsionar ações com startups e outros players voltados ao varejo.

Fonte: Jornal do Comércio

Data

03 novembro 2021

Compartilhe