Comércio se une para abrir as lojas do Centro da Capital aos domingos

Comércio se une para abrir as lojas do Centro da Capital aos domingos

19

OUTUBRO, 2017

Notícias

Uma reunião realizada na sede do Sindilojas Porto Alegre nesta quarta-feira, dia 18, dá início ao movimento dos lojistas do Centro para a abertura das lojas de rua aos domingos. O encontro convocado pelo presidente da Entidade, Paulo Kruse, contou com a presença do presidente da CDL POA, Alcides Debus, do diretor-executivo do Sindióptica, Roberto Tenedini, e de redes de lojas de vestuário, calçados, farmácias, óticas e joalherias, eletrodomésticos e moda casa. O objetivo do grupo é unir esforços para que todo o comércio do Centro da Capital abra seus estabelecimentos aos domingos, já em novembro, e incentive o poder público a investir na revitalização da área central, com segurança, limpeza urbana e vagas de estacionamento nas vias públicas, contribuindo para que a sociedade volte a usufruir do Centro da cidade.

Somente em 2009, o comércio de Porto Alegre conquistou em caráter definitivo, através de uma ação do Sindilojas Porto Alegre, a liberdade para funcionar todos os dias. Porém, pela sensação de insegurança na Capital, o comércio de rua não é mais incentivado a abrir aos domingos, assim como o consumidor a desfrutar dos ambientes ao ar livre da cidade. “Queremos revitalizar o Centro e quebrar esse sentimento de insegurança, criando uma cultura de passeio na região, assim como no comércio de rua, também aos domingos. Algo que só conseguiremos com a participação de toda a sociedade, ocupando os espaços públicos, além de contarmos com o apoio da Prefeitura, da Brigada Militar e do Governo do Estado garantindo a segurança pública”, afirmou o presidente do Sindilojas Porto Alegre, Paulo Kruse.

Novas vagas

O presidente da CDL POA, Alcides Debus, observou que o Centro Histórico de Porto Alegre é forte, pois abrange todas as redes do varejo, de diferentes segmentos. Debus ainda ressaltou que esta definição, quando colocada em prática, irá contribuir para a criação de novas vagas de emprego no comércio, estimular as vendas e colaborar para o fortalecimento de toda a economia local. “Certamente, a abertura das lojas de rua aos domingos implicará na contratação de novos funcionários, fixos e temporários, para suprir a demanda e cobrir as folgas. Ou seja, o Natal e o final de ano de muitos gaúchos poderão ser mais prósperos”, comentou o dirigente.

Data

19 outubro 2017

Compartilhe