A importância da recuperação de dívidas


A importância da recuperação de dívidas 

04


FEVEREIRO, 2021

Notícias

CDL Porto Alegre lista benefícios que mostram esse instrumento como positivo às empresas e ao consumidor 

A recuperação das dívidas é a busca pelo pagamento dos débitos em aberto por parte do consumidor. Criar um cenário propício para que o cliente busque a quitação é uma boa estratégia para os negócios, uma vez que isso se converte em reforço de caixa e, a longo prazo, com a restauração do crédito do cliente, pode se tornar novamente um bom consumidor.

Além disso, a recuperação do crédito apresenta outro benefício: a empresa poderá recuperar o que foi apurado indevidamente no pagamento de tributos, como Programa de Integração Social (PIS), Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins), Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) e Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

Diferentemente da cobrança, o objetivo da recuperação é variado e não consiste, de forma necessária, em acabar com uma dívida específica. O foco das tratativas são os consumidores que estão com o nome negativado devido aos atrasos nos débitos. Desse modo, recuperar as dívidas é benéfico tanto para a empresa, que recebe o valor pendente, quanto para o consumidor, que volta a ter uma situação financeira regularizada em órgãos de proteção de crédito.

A recuperação de dívidas também apresenta vantagens, se comparada ao modelo de cobrança adotado por muitas empresas, como maior celeridade na negociação, manutenção no equilíbrio do caixa da empresa, menor desgaste do relacionamento com o consumidor, e, consequentemente, redução dos riscos de perda do cliente e de enfraquecimento da reputação organizacional.

A partir da avaliação destes fatores, é perceptível a importância do trabalho de recuperação de dívidas e como ele pode ser fundamental para a empresa administrar melhor os recursos em caixa, desenvolver o potencial para investimentos e evitar a inadimplência empresarial. Afinal, por um lado, o pagamento das dívidas existentes é assegurado e, de outro, há a possibilidade de ressarcimento de impostos pagos de maneira indevida.

Data

04 fevereiro 2021

Compartilhe