Considerações econômicas sobre o Liquida Porto Alegre

O Liquida Porto Alegre é uma tradicional iniciativa organizada pela CDL Porto Alegre em prol do fomento às promoções. Nesta vigésima quinta edição, realizada entre os dias 18 e 26 de fevereiro, haverá mais de 4,6 mil CNPJ’s participantes do comércio e dos serviços nos formatos físico e digital.

A ideia principal por trás da Campanha é estimular as vendas em um período historicamente caracterizado por um movimento mais baixo em comparação com outras épocas do ano. Dados da Pesquisa Mensal do Comércio (PMC), do IBGE, evidenciam que o faturamento nominal do varejo ampliado gaúcho em fevereiro cai, em média, 16,0% em relação aos demais meses. Apesar da falta de informações para municípios, julgamos que a dinâmica de Porto Alegre tende a apresentar comportamento semelhante, em virtude da representatividade da Capital para o setor como um todo no Rio Grande do Sul. A causa explicativa do fenômeno está provavelmente atrelada às férias de muitos trabalhadores, somada à ocorrência, em diversas ocasiões, do carnaval.

Também é relevante observar que o padrão se repete para nove das dez subcategorias investigadas pelo Instituto. A única exceção diz respeito a “livros, revistas e papelaria”, em função da abertura do calendário letivo escolar.

A versão 2022 da ação carrega um sentido especial devido à necessidade de retomada após o pior momento da pandemia. Em primeiro lugar, as estatísticas do Novo CAGED mostram que, entre março de 2020 e dezembro de 2021 – intervalo marcado pela eclosão do coronavírus e de seus impactos – o saldo da geração de vagas formais diminuiu em 6.528. Logo, o emprego com carteira assinada encolheu 1,2% nesse ínterim. Além disso, se avaliarmos a média móvel de 30 dias da quantidade de Notas Fiscais Eletrônicas emitidas na cidade, é possível constatar que o patamar no último mês do ano passado (1,04 milhão) é o mesmo do que o verificado no começo de 2019. Tal resultado pode ser interpretado como a ausência de crescimento real (superior a inflação) das transações dos segmentos averiguados pela Receita Estadual.

A despeito da conjuntura difícil, acreditamos que os descontos concedidos sejam úteis para os lojistas por conta dos seguintes motivos: (1) reforço do caixa; (2) ajuste de estoques; (3) fortalecimento do vínculo com os clientes. Por sua vez, o consumidor dispõe de oportunidades para atender seus interesses a um custo menor.

*Conteúdo exclusivo – Oscar Frank, economista-chefe da CDL POA

 

________________________________________

Veja também:

 

Data

21 fevereiro 2022

Compartilhe