Ambientes colaborativos entre fintechs e instituições financeiras revolucionam o mercado

Inovação e tecnologia proporcionam um ecossistema de parceria entre fintechs e instituições financeiras

Se antes enxergávamos outras empresas de forma competitiva, hoje isso não é mais forma de fazer negócio. É preciso estar disposto a aprender e escutar o mercado, compartilhando dados e informações, para fazer com que cada dia mais surjam negócios especializados e que ajudem o consumidor em diferentes demandas. Agora, há uma revolução no mercado de fintechs, que possuem diversas propostas e soluções para empresas e consumidores. Dessa forma, proporciona-se um mercado mais amplo de serviços e maior rotatividade de dinheiro. 

Com o objetivo de fomentar o ambiente colaborativo entre fintechs e integrantes do Sistema Financeiro Brasileiro, o próprio Banco Central – em parceria com a  Fenasbac – desenvolveu o Laboratório de Inovações Financeiras e Tecnológicas (LIFT), que busca incentivar a criação de protótipos de soluções tecnológicas. Dentro deste contexto estão surgindo diferentes empresas ligadas à economia colaborativa, que buscam essencialmente promover melhores condições aos consumidores.

O crescimento acelerado do mercado de fintechs, bem como a implementação do Open Finance e o uso cada vez maior das ferramentas tecnológicas para facilitar o dia a dia acabam gerando repercussão na forma de acesso a produtos e serviços do sistema financeiro. Para garantir que a oferta esteja atualizada de acordo com a demanda dos clientes, os bancos devem considerar o crescimento de um ambiente colaborativo com as fintechs.

Fintechs e bancos: parceria é foco do relacionamento

Conforme pesquisa realizada pela Associação Brasileira de Fintechs (ABFintechs) e a consultoria PwC, 46% dos entrevistados consideram os bancos como parceiros, enquanto apenas 10% ainda encaram as instituições financeiras como concorrentes no mercado. 

Além disso, os resultados indicam que 29% consideram os bancos como possíveis parceiros no futuro e 15% enxergam as instituições como potenciais compradores estratégicos. De um lado os bancos têm recursos para investir e, do outro, as fintechs desenvolvem soluções baseadas em agilidade e inovação, ou seja, as parcerias podem oferecer resultados satisfatórios aos clientes.

A troca de dados e informações auxiliam consideravelmente no crescimento das empresas e favorecem o desenvolvimento de produtos e serviços adaptados às demandas atuais. Portanto, o desenvolvimento de um ambiente colaborativo entre fintechs e instituições financeiras deve potencializar ainda mais o mercado financeiro e diversificar tanto a atuação dos bancos tradicionais, quanto a relação dos clientes com essas instituições. 

Data

14 junho 2022

Compartilhe