Vendas de Dia dos Namorados devem movimentar R$ 73,5 milhões no comércio da Capital

Vendas de Dia dos Namorados devem movimentar R$ 73,5 milhões no comércio da Capital

02

JUNHO, 2017

Notícias

Pesquisa de intenção de compras, encomendada pelo Sindilojas Porto Alegre e pela CDL POA indica crescimento de 5% nas vendas em comparação a 2016

Pesquisa encomendada pelo Sindilojas Porto Alegre e CDL POA projeta que o próximo Dia dos Namorados movimentará R$ 73,5 milhões no comércio da Capital. Em relação ao ano passado, deve apresentar uma variação nominal de 5% em relação ao mesmo período. O ticket médio estimado para a data deve ficar em R$ 186,00.

Qual o ticket médio de acordo com cada classe:

 

De acordo com o presidente do Sindilojas Porto Alegre, Paulo Kruse, roupas e perfumes são as opções de presente preferidas dos consumidores para o Dia dos Namorados. “A pesquisa apontou que 27,5% pretendem dar roupas e 14,6%, perfumes. Os dados revelaram também que neste ano as lojas de rua foram escolhidas por 54,30% dos entrevistados para serem feitas as compras, enquanto os shoppings centers, por 37,80%. A internet, por sua vez, sofreu acréscimo, subindo de 1,60% para 3,60% da preferência. É um reflexo da retomada do crescimento do varejo”, explica.

O presidente da CDL Porto Alegre, Alcides Debus, observou um lado curioso da pesquisa, no qual cerca de 60% dos entrevistados disseram que pretendem presentear seus maridos e esposas neste Dia dos Namorados. “Chamou a atenção que a maioria possui relacionamentos longos, pois 25,5% dos entrevistados comentaram que estão juntos com os seus parceiros há mais de vinte anos, o que demonstra que os gaúchos valorizam seus companheiros e preocupam-se em presentear nesta data. Assim, o varejo precisa se preocupar em oferecer opções também para os casais mais maduros”, ponderou Debus.

A semana que antecede a data é o período escolhido por 57% para a compra do presente. Somente 12,6% se programam para fazer as compras duas semanas antes do dia 12 de junho, enquanto apenas 8% dos entrevistados compram com um mês de antecedência.

Clique na imagem para fazer o download da pesquisa

Namorados generosos

A pesquisa ainda aponta que para as compras para o Dia dos Namorados na capital gaúcha a generosidade entre os casais é alta. 18,5% dos entrevistados presentarão seu companheiro com dois ou mais presentes. Desses, 15,9% darão dois presentes, enquanto 2,3%, presentearão com três regalos e 0,3%, com quatro presentes. O restante, 81,4%, dará um presente único para o seu companheiro. Segundo o levantamento boa parte dos presentes serão destinados aos cônjuges (57,3%) e aos namorados (39,20%). O restante será destinado especialmente aos ficantes (3%) e, pasmem, a amantes e “outra(o) namorada(o)”, com 0,70% da amostra.

Para ofertar um presente à altura de seu amor neste Dia dos Namorados, a maioria dos entrevistados (43,10%) afirma que pretende pagar à vista em dinheiro. O número é inferior aos 67,3% de 2016, mas continua na liderança, seguido por “no cartão de crédito parcelado” (22,5%), “cartão de débito” (18,9%), “cartão de crédito em 1 vez só” (9,60%) e “no prazo em cartão da loja/crediário” (1,70%).

Desconto e preço são os principais diferenciais no Dia dos Namorados

O que mais impacta na escolha dos presentes para a data é o “peso no bolso”. Para 86,80% dos entrevistados, o desconto é o que mais ajuda na definição do local onde será comprado o presente, seguido pelo preço, com 81,80% da amostra. Após isso, vêm os quesitos atendimento/informação (73,5%), ambiente agradável (68,90%) e facilidade de acesso (66,20%).

Propaganda segue sendo o maior trunfo das lojas nas vendas para o Dia dos Namorados

A propaganda das lojas em TV, rádio, jornais e internet, continua sendo o maior trunfo das lojas nas vendas para o Dia dos Namorados, segundo 45,70% dos entrevistados. Esse quesito é seguido por “quando vejo decoração em lojas” (24,20%), “quando alguém me lembra/cobra para comprar” (11,90%) e “a própria data” (8,90%).

A pesquisa foi realizada pelo Núcleo de Pesquisa do Sindilojas Porto Alegre e entrevistou 300 consumidores em Porto Alegre, homens e mulheres, das classes A, B, C, D e E.

Data

02 junho 2017

Compartilhe