Perguntas e respostas sobre o aumento dos combustíveis

Por que a Petrobras autorizou o reajuste?

A estatal adota uma política de preços que leva em conta a cotação do petróleo no mercado internacional e da taxa de câmbio. Assim como qualquer artigo, os valores são constituídos através das interações entre a oferta e a demanda. No tocante ao primeiro elemento, a OPEP+ continua sem alcançar um consenso entre os respectivos países-membro em termos de elevação da produção. Por sua vez, a perspectiva de procura segue aquecida, diante da retomada global robusta.

A combinação supracitada ajuda a explicar o forte avanço da commodity ao longo das últimas semanas – o tipo Brent subiu 20,4% entre os dias 29 de março e 05 de julho, atingindo seu pico desde outubro de 2018. Já o Real registrou apreciação em comparação com o Dólar nesse ínterim (12,4%). Consequentemente, a diferença entre ambos totalizou +5,52%, ou seja, se não fosse o segundo componente, certamente teríamos um encarecimento bem mais significativo.

Qual o impacto para a inflação?

Considerando os acréscimos de 6,3% da gasolina, 3,7% do diesel, 5,8% do gás de cozinha e de 7,0% no gás natural, recorremos aos dados do IBGE para identificar os pesos dos itens na cesta investigada pelo IPCA em maio de 2021. A influência é calculada pela multiplicação da relevância no índice pela variação proposta pelo governo:

  • Gasolina: 5,8183% X 6,3 = 0,366 ponto percentual;
  • Óleo diesel: 0,2124% X 3,7 = 0,008 ponto percentual;
  • Gás veicular: 0,0604% X 7,0 = 0,004 ponto percentual;
  • Gás de botijão: 1,2254 X 5,8 = 0,071 ponto percentual;
  • Gás encanado: 0,1295 X 7,0 = 0,009 ponto percentual.

Logo, a contribuição resultante é de 0,459 ponto percentual, a ser distribuída entre os meses de julho e de agosto. Vale lembrar que esse seria o efeito de um repasse integral para a ponta final, de modo que a intensidade dependerá de diversos vetores, como a estrutura de concorrência dos postos, renda, logística e demais fatores. Porém, sabemos que as mudanças afetam toda a cadeia, abrangendo, por exemplo, os custos de frete.

De que outras formas a correção interfere na economia?

O recrudescimento dos combustíveis exigirá um esforço adicional do COPOM. Cresce, portanto, a probabilidade de expansão dos juros para além de 0,75 ponto percentual na próxima reunião, no início de agosto, e de que a calibragem necessária para a Taxa SELIC visando o cumprimento da meta de inflação em 2022 supere o patamar neutro, hoje estimado em 6,50% ao ano.

Ademais, a deterioração do poder de compra da moeda reduz a capacidade de aquisição de bens e serviços, sobretudo da população pobre, que tende a consumir uma fatia proporcionalmente maior dos seus rendimentos.

*Conteúdo exclusivo – Oscar Frank, economista-chefe da CDL POA

 

________________________________________

Veja também:

Data

21 julho 2021

Compartilhe