Pandemia impulsiona digitalização dos negócios em MPEs, mas metade ainda depende de plataformas terceirizadas e rede sociais

Pesquisa da Boa Vista, empresa parceira de negócios da CDL POA e da Rede de Entidades Parceiras, mostra que o uso de canais digitais tem sido a solução para a manutenção e sobrevivência destes negócios; 57% tem garantido parte de seu faturamento com vendas online e divulgação em redes sociais

Com o início da pandemia em 2020, um terço das micro e pequenas empresas passou a fazer negócios pela internet, segundo pesquisa realizada pela Boa Vista, empresa de inteligência analítica. Praticamente um quarto dessas MPEs começou a digitalização de seus canais após a escalada da pandemia.

A pesquisa também revelou que as operações digitais têm sido cada vez mais importantes na receita dessas empresas. Das MPEs entrevistadas, 57% têm garantido parte de seu faturamento por conta da atuação em canais de vendas como e-commerce e por meio da divulgação de produtos e serviços em suas redes sociais. Destas, 22% declararam que mais de 50% de suas receitas dependem dos canais digitais.

Entre as MPEs que aderiram ao digital no último ano, 25% já realizam negócios e vendas por site próprio. Por outro lado, quase metade das entrevistadas ainda dependem de plataformas de terceiros, como marketplaces e também das redes sociais para divulgarem seus produtos e serviços, e criarem novas oportunidades de vendas. “O movimento de digitalização dos negócios nas MPEs se consolida cada vez mais, expandindo e aumentando e oportunidades para as áreas de TI e Inovação. O uso dos canais digitais tem sido a solução para a manutenção e sobrevivência destes negócios”, explica Lola de Oliveira, diretora de Marketing e Relacionamento com o Cliente da Boa Vista.

Entre as redes sociais mais utilizadas por essas empresas se destaca o WhatsApp, apontado por 32% dos entrevistados. Na sequência, figuram Facebook e Instagram, com 26% e 25%, respectivamente. Outro levantamento da Boa Vista com empresários do mesmo segmento apontou aumento de 30% no uso das redes sociais se comparado a 2020.

A tentativa de alavancar vendas por meio da divulgação de produtos e serviços e a busca por estreitar relacionamento com clientes foram apontadas por 27% e 25% das empresas, respectivamente, como finalidade do uso das redes sociais. Outros motivos passam pela busca de inspiração por novos produtos (15%), incentivo de novos negócios (15%), acompanhamento de tendências (15%) e divulgação de oportunidades de trabalho (3%).

Apoio em todos os momentos do negócio

Como uma empresa que aplica inteligência analítica de ponta na transformação de informações para a tomada de decisões em concessão de crédito e negócios em geral, a Boa Vista possui soluções que apoiam seus clientes em todo o ciclo de negócio. São empresas de diferentes segmentos e portes que recorrem à identificação de público, para as melhores ofertas de crédito, à concessão, para a automatização e ampliação das operações de venda. Ou então buscam o gerenciamento, para a padronização e o monitoramento da carteira de clientes, ou a recuperação do crédito, para o aprimoramento do processo de cobrança e recuperação de ativos. Todas as soluções da Boa Vista contemplam informações do Cadastro Positivo, banco de dados que contém o histórico de consumo e capacidade de pagamento de consumidores e empresas. Para saber mais acesse: www.boavistaservicos.com.br 

Metodologia

A pesquisa realizada pela Boa Vista foi feita por meio de entrevistas on-line. Contou com a participação de aproximadamente 300 respondentes, micro e pequenos empresários representantes dos setores de comércio e serviços de todas as regiões do país. A margem de erro é de 5 pontos percentuais, para mais ou para menos, e o grau de confiança é de 90%.

Data

03 setembro 2021

Compartilhe