2017: um respiro na economia

 

                O ano começa cheio de esperança para os brasileiros, pois há vários indícios de que em 2017 a economia brasileira encerrará seu atual ciclo de contração e começará uma nova expansão. Isso, é claro, não significa que estaremos ao final do ano como estávamos antes da crise. Levaremos ainda algum tempo para que a recuperação seja completa, mas o primeiro passo está neste ano. Devemos fechar 2017 com crescimento econômico, inflação controlada e juros mais baixos.

                O controle mais responsável dos gastos do governo e as reformas da previdência e da legislação trabalhista só contribuem com o cenário de recuperação da crise. Ainda que os maiores efeitos desses atos serão sentidos apenas no longo prazo, a mudança de ares para uma gestão política mais responsável melhora o ambiente produtivo e só tem a acrescentar para o desenvolvimento econômico. O legado desse conjunto de políticas será fundamental para o crescimento do Brasil nas próximas décadas.

                É difícil saber o que esperar do consumidor brasileiro após essa crise. Devemos observar um consumidor um pouco mais controlado, que levará a experiêcia da crise como aprendizado para a sua vida financeira. Por causa da demanda reprimida em virtude do encolhimento da renda, o cenário pós-crise deve gerar uma certa euforia pelo consumo, mas não necessariamente esse efeito apareça já neste ano.

Data

01 janeiro 1970

Compartilhe