Pesquisa CDL POA: empresários da Capital afirmam que o Dia das Crianças será marcado por crescimento

Consulta mostra que micro, pequenas e médias empresas estão otimistas com as vendas para a data comemorativa

O próximo dia 12 de outubro chega para o comércio com entusiasmo, é o que mostra o levantamento da CDL Porto Alegre realizado para o Dia das Crianças de 2021, com empresários da Capital. A pesquisa aponta que a expectativa de ticket médio é de R$ 150 para grande parte dos lojistas, as vendas devem ocorrer predominantemente pelas redes sociais e o meio de pagamento de maior adesão será o cartão de crédito e débito. O público respondente é parte da base de associados da Entidade e foi consultado na segunda quinzena do mês de setembro deste ano.

O perfil dos empresários entrevistados é composto de investidores dos segmentos de alimentação (28%), vestuário (22%), brinquedos (17%), calçados e acessórios (12%), óticas e joalherias (6%), acessórios e semijoias (5%), materiais esportivos (5%), entretenimento e lazer (5%). Quanto ao porte dos negócios, foram rastreadas microempresas (39%), com faturamento menor ou igual a R$360 mil/ano; pequenas empresas (50%), com faturamento superior a R$360 mil/ano e menor ou igual a R$4,8 milhões/ano; e médias empresas (11%), com faturamento superior a R$4,8milhões/ano e menor ou igual a R$300 milhões/ano.

Para o presidente da CDL POA, Irio Piva, “com o avançar da imunização contra a Covid-19 é possível notar crescente melhora e aquecimento do comércio, o que deve impactar diretamente nas vendas para a data comemorativa de outubro”. Considerando análise de dados disponíveis do mercado, o economista-chefe da CDL POA, Oscar Frank, afirma que “a melhora do quadro sanitário segue propiciando flexibilizações adicionais ao funcionamento dos negócios. Esse movimento beneficia principalmente os segmentos que foram mais afetados pelo distanciamento social no comércio, incluindo os artigos de vestuário, calçados e materiais de escritório, além de diversos serviços prestados às famílias, como alojamento e alimentação. Acredito, portanto, que tais categorias liderarão o processo de retomada da economia nos próximos meses”.

A análise do especialista está em linha com o Termômetro do Otimismo da CDL POA, que afere o quão positiva está a classe empresarial para o Dia das Crianças, em relação às possibilidades de vendas. Os dados mostram que não há sinais significativos de pessimismo, visto que os entrevistados não sinalizaram estar ‘nada otimistas’ para a data. Ainda, os ‘pouco otimistas’ somam 22%, enquanto os ‘razoavelmente otimistas’ chegam a 33%, os ‘otimistas’ alcançam 34% e os ‘muito otimistas’ são 11%.

Os dados de otimismo se fortalecem quando os questionamentos permeiam o ambiente de vendas. Cerca de 33% acreditam que o desempenho no Dia das Crianças será superior a 2020, entre 1% e 10%; 22% apostam em comercializações entre 11 e 20%; e outros 22% são ainda mais esperançosos, com uma análise de 20% a 30% superior. Os mais cautelosos, que indicam vendas iguais ao ano anterior, somam 17% dos entrevistados, e os menos otimistas são aproximadamente 6%, afirmando que o cenário de vendas será inferior a 2020.

A expectativa para o ticket médio, a partir do ponto de vista dos vendedores, está acima de R$ 150 para a maior parcela dos entrevistados (33%). Valores entre R$100 e R$150 são a aposta de 28% dos consultados; presentes entre R$50 e R$100 correspondem a 11% dos empresários e as lembrancinhas entre R$10 a R$50 são a margem de valor por unidade para 28% dos lojistas.

A forma que esses itens devem ser comercializados permeará meios de pagamentos que estão em ascensão no mercado, como o PIX, que já ocupa 78% dos estabelecimentos comerciais consultados, e os pagamentos digitais (50%), como PicPay, PagSeguro, entre outros. No entanto, o campeão de adesão ainda é o cartão de crédito e débito, aceito pela totalidade dos empresários (100%). Logo em seguida, vem o dinheiro em espécie, para 78% dos lojistas. Pagamentos com cheques (17%) e por meio de crediário (11%) seguem em razoável operação no comércio.

Rastreadas as ações digitais dessas empresas, percebe-se uma intenção consistente de divulgação de produtos utilizando plataformas online, como por postagens em Redes Socais (89%), mensagens via WhatsApp (61%), envio de email-marketing (22%) e postagem paga na internet (22%). Os meios off-line também seguem ativos, com a decoração de vitrine e loja (56%) e a distribuição de flyers e panfletos (6%). Dentre os consultados, 6% indicaram que não pretendem divulgar seus produtos de forma online na data comemorativa.

Quando o assunto são as iniciativas de vendas por meios digitais o WhatsApp é a maior aposta, obtendo 78% das intenções de comercialização. As redes sociais vêm com força, arrecadando 61% dos empresários. Juntas, essas plataformas lideram isoladas. Ainda, sites e e-commerces (28%), market places (28%) e aplicativos próprios (11%) serão alternativas de vendas para a data. Outros 11% indicam que não pretendem comercializar produtos nos meios digitais.

Observando o momento atual e as novas prioridades dos consumidores, segundo os lojistas, os brinquedos seguirão liderando as vendas de presentes, com 56% das intenções. Em segundo lugar nas apostas de comercialização, virá uma novidade: os produtos e serviços que envolvem uma experiência em família (33%), o que inclui viagens curtas, passeios e visitas a espaços de lazer. Roupas e vestuário se mantém fortes, pela perspectiva dos empresários, com 28% das intenções de vendas, e os eletrônicos (celulares, tablets, videogames, etc.) vêm mais tímidos, com 6%.

O presidente Irio Piva enfatiza que o resultado da pesquisa está em linha com a tendência mundial de valorização da experiência do cliente, que vai além da venda do produto ou serviço. “Estamos vivendo a era da experiência, o cliente está atendo a isso, busca vivenciar momentos em família e com amigos que impactem em sensações duradouras. Para o comércio e o setor de serviços, isso será cada vez mais um diferencial. Essa experiência pode ser um almoço simples com pessoas queridas ou uma viagem planejada e um passeio especial. O Dia das Crianças tende a unir os grupos de afeto, o que acaba por propiciar atividades que impactam também no movimento econômico da cidade. O momento agora é de supervalorização das experiências. Precisamos estar tentos, como empresários, a essas oportunidades”, explica o dirigente.

Cerca de 61% dos entrevistados dizem que o cenário atual impactará nos resultados das suas vendas e 67% afirmam que as altas recentes nos preços terão reflexo consistente no valor final do seu produto. Contribuindo para um raio-x factível do varejo, os empresários escolheram uma palavra que melhor represente a situação dos seus negócios. As campeãs nos apontamentos foram, em primeiro lugar, ‘Crescimento’, em segundo, ‘Difícil’, em terceiro ‘Incerto’, e em quarto, ‘Esperança’. Veja a nuvem de palavras formada com a lista completa:

CONFIRA OS RESULTADOS COMPLETOS DA PESQUISA DE DIA DAS CRIANÇAS DA CDL POA:

Segmentação
Alimentação 28%
Vestuário 22%
Brinquedos 17%
Calçados e acessórios 12%
Óticas e joalherias 6%
Acessórios e semijoias 5%
Material Esportivo 5%
Entretenimento e lazer 5%

Porte
39% Microempresa (faturamento menor ou igual a R$360 mil/ano)
50% Pequena empresa (superior a R$360 mil/ano e menor ou igual a R$4,8 milhões/ano)
11% Média empresa (superior a R$4,8 milhões/ano e menor ou igual a R$300 milhões/ano)

Termômetro do Otimismo: o quanto você se sente otimista para o Dia das Crianças, em relação às possibilidades de vendas?

0% Nada otimista
22% Pouco otimista
33% Razoavelmente otimista
34% Otimista
11% Muito otimista

Qual sua expectativa de ticket médio de vendas para a data?

28% De R$10 a R$50
11% De R$50 a R$100
28% De R$100 a R$150
33% Acima de R$150

Como pretende divulgar os seus produtos?

89% Postagens em Redes Socais
61% Mensagens via WhatsApp
56% Decoração de vitrine e loja
22% E-mail marketing
22% Postagem paga na internet
6% Distribuição de flyers e panfleto
6% Não pretendo divulgar 

Quais meios de pagamento utilizará para vendas nesta data?

100% Cartão de crédito e débito
78% Dinheiro
78% PIX
50% Pagamentos digitais (PicPay, PagSeguro, entre outros)
17% Cheque
11% Crediário 

Como você pretende vender pelos meios digitais?

78% Pelo WhatsApp
61% Pelas redes sociais
28% Pelo site ou e-commerce da empresa
28% Por marketplaces
11% Por aplicativos próprios da empresa.
11% Não pretendo vender nos meios digitais

Em comparação a 2020, como você acredita que será o desempenho das vendas neste ano?

Inferior a 2020 – 6%
Igual a 2020 – 17%
Superior, entre 1% a 10% – 33%
Superior, entre 11% a 20% – 22%
Superior, entre 20% a 30% – 22%

Em relação às altas recentes nos preços, quanto o valor final do seu produto foi impactado?

67% Muito impactado
28% Pouco impactado
5% Não foi impactado

E com esse cenário atual da sua empresa, você acha que isso impactará nos resultados das suas vendas?

Sim 61%
Não 17%
Não sei informar 22%

Considerando o momento atual da economia para as famílias, o que você acredita que será mais procurado?

56% Brinquedos
33% Experiências em família (viagens curtas, espaço de lazer)
28% Roupas e acessórios
6% Eletrônicos (celular, tablet, videogame, etc)

Em uma palavra, como você definiria o momento do varejo?

1º lugar: Crescimento
2º lugar: Difícil
3º lugar: Incerto
4º lugar: Esperança
5º lugar: Recuperação
6º lugar: Melhora
7º lugar: Decisivo
8º lugar: Promissor
9º lugar: Investimento
10º lugar: Ruim
11º lugar: Aceleração
12º lugar: Instável
13º lugar: Cauteloso

VEJA AS DICAS DA CDL POA PARA VENDER MAIS NESTE DIA DAS CRIANÇAS

Data

07 outubro 2021

Compartilhe