Economia gaúcha começou o semestre melhor do que média nacional, aponta Banco Central

Ainda assim, é como se estivesse “andando de lado”, diz economista.

A economia gaúcha começou o segundo semestre ainda melhor do que a média nacional. Calculado pelo Banco Central e chamado de prévia do PIB, o Índice de Atividade Econômica Regional do Rio Grande do Sul (IBCRRS) avançou 0,9% em julho sobre junho. Já a economia brasileira teve um avanço de 0,6% no período.

No acumulado de 2021, o Rio Grande do Sul tem alta de 11,2% contra 6,8% do país.  O acumulado de 12 meses traz alta de 6,6% na economia gaúcha, exatamente o dobro da média nacional. Os dados do Banco Central são compilados por Oscar Frank, economista-chefe da Câmara de Dirigentes Lojistas de Porto Alegre (CDL POA).

A base de comparação de ambos é baixa pela pandemia. No caso do Rio Grande do Sul, é ainda menor devido à estiagem de 2020. A recuperação da economia local, então, ocorre em cima deste cenário.

Analisando o desempenho de julho de forma isolada, o grande destaque foi o setor de serviços. Ele avançou 3,4% no Rio Grande do Sul, um desempenho muito acima da média nacional e recuperando, pela primeira vez, o patamar pré-pandemia. Varejo também vendeu mais, mas a indústria ainda patina, intensificando o corte de produção.

– É o efeito da realocação de gastos de bens para serviços. Melhora do quadro sanitário viabiliza isso. Em suma: estamos ensaiando uma volta à normalidade – diz Frank.

Mas o economista pondera:

– O nível atual do Rio Grande do Sul é semelhante a maio de 2013, o que demonstra a nossa dificuldade em gerar crescimento sustentado ao longo do tempo. “Andamos de lado” por um período superior a 8 anos – comenta Frank.

 

Fonte: Portal Gaúcha ZH – Coluna Giane Guerra

 

Data

16 setembro 2021

Compartilhe