Mais da metade dos consumidores precisa de crédito, aponta pesquisa da Boa Vista

Estudo mostra as perspectivas para demanda de crédito no novo cenário econômico catalisado pela pandemia

A pandemia de Covid-19 deixa cada vez mais evidente suas consequências nas finanças dos consumidores. Um levantamento da Boa Vista, empresa parceira de negócios da CDL POA e da Rede de Entidades Parceiras, que aplica inteligência analítica de ponta na transformação de informações para a tomada de decisões em concessão de crédito e negócios em geral, indica que mais da metade dos consumidores precisam de crédito no atual cenário econômico.

Dos consumidores que alegam a necessidade de crédito, quase metade deles opta por soluções mais tradicionais para equilibrar as finanças – 49% pretendem solicitar empréstimos em bancos e financeiras. Como alternativa, 29% dos entrevistados dizem que irão escolher o cartão de crédito, seja de bancos, seja de lojas. A pesquisa teve como objetivo identificar novos hábitos e perspectivas de compra dos consumidores brasileiros diante do momento atual da economia. A imagem abaixo contém os detalhes.

Com o avanço da crise, em 2021, 82% dos consumidores disseram ter revisado seu orçamento doméstico. “A economia tem tudo para ser retomada nos próximos meses, conforme a vacinação progride no país. Diante disso, é natural que muitos consumidores passem a procurar por alternativas de crédito para equilibrar a vida financeira e, eventualmente, retomar o consumo”, explica Flavio Calife, economista da Boa Vista.

Metodologia

A pesquisa da Boa Vista foi feita por meio de entrevistas online, realizadas entre 13 a 31 de maio, com consumidores que buscaram informações e orientações no site Consumidor Positivo da Boa Vista (www.consumidorpositivo.com.br), bem como consumidores do mercado em geral. Contou com a participação de aproximadamente 300 respondentes, considerando homens e mulheres representantes das diferentes classes sociais e regiões do país. A margem de erro é de 4 pontos percentuais, para mais ou para menos, e o grau de confiança é de 80%.

 

Data

23 julho 2021

Compartilhe