Controle da pandemia e fatores econômicos vão marcar o desempenho do semestre

A expectativa para o curto prazo é que o avanço da vacinação ajude a vencer a pandemia. “A recuperação do cenário econômico depende da solução do problema sanitário”, considera Oscar Frank, economista-chefe da CDL POA. Mas este não é o único desafio, avaliam os economistas da CDL POA e do Sistema Fecomércio.

“A Covid não é a única doença da qual a economia padece. Passado este período, voltamos a ser o velho Brasil de sempre”, comenta Patrícia Palermo, economista-chefe da Fecomércio. A inflação oficial medida pelo IPCA, de 8,35% no acumulado em 12 meses até junho, o aumento das taxas de juros, a crise hídrica e a aproximação com eleições em 2022 são barreiras que o Brasil precisa enfrentar para melhorar a economia.

Além da crise hídrica, Frank cita como desafios a dificuldade em acessar insumos e suprimentos, o encolhimento do mercado de trabalho e a redução dos investimentos externos no Brasil com a possível reversão de medidas de estímulo à economia em países desenvolvidos. Mesmo com tendência de alta, o economista da CDL POA considera os juros baixos para os padrões brasileiros, o que facilita o acesso aos mercados imobiliário e automotivo. Na perspectiva de oportunidades, Frank ainda destaca os efeitos em cadeia do boom das commodities e o aumento da poupança no país. “Quando houver um horizonte de previsibilidade maior, parte destes recursos deve ser despendida em bens e serviços”, avalia.

Enquanto o mercado elevou as projeções do Produto Interno Bruto (PIB) para 5,26% este ano, para 2022 a expectativa reduziu de 2,10% para 2,09%. Isso após despencar 4,1% em 2020. “Estamos nos levantando do tombo, mas não estamos mais altos. Nossos desafios continuam sendo de longo prazo. Até porque estamos às vésperas de eleição e não há mais clima político para conduzir reformas relevantes. Além disso, estamos caminhando para eleição extremamente polarizada e quem vencer vai receber um Brasil com muitos desafios”, considera a economista-chefe da Fecomércio.

*Fonte: Jornal do Comércio – Caderno Especial | Edição Impressa em 16/07/21

Data

19 julho 2021

Compartilhe