RECRIE O VAREJO: A necessidade do cliente convertida em venda futura

18

MAIO, 2020

Notícias

A Wind Charter entendeu que era possível faturar mesmo com a proibição dos serviços náuticos para turismo durante a pandemia. Os relatos dos clientes sobre a necessidade de convívio social ao ar livre e a impossibilidade de contato com a natureza foram o start para a implementação da venda futura, que fez o caixa da empresa girar novamente.

Veja o passo a passo deste processo:

 

CONHEÇA A EMPRESA

>> Wind Charter – Frota de veleiros

Características do negócio
– Setor de turismo náutico
– Serviço de aluguel de veleiros
– Pequeno Porte

Problema
Promover fonte de receita em meio a pandemia do coronavírus, mesmo com a proibição do serviço.

 

PLANO DE AÇÃO

Passo 1: Otimizar o tempo. Com os barcos fora de operação, aproveitou a oportunidade para reparar detalhes de manutenção na frota e qualificar ainda mais o produto.

Passo 2: Ter uma percepção global do setor. Analisou como as empresas que atuam em países onde o isolamento social está flexibilizado estão voltando à ativa e como o público recebe as ofertas do serviço náutico.

Passo 3: Contato intensificado com o cliente por plataformas digitais.

Passo 4: Entendimento sobre as necessidades do público e as insatisfações que a pandemia causa a ele, como a restrição da liberdade, de poder estar ao ar livre, da socialização com outras pessoas, do contato com a natureza.

Passo 5: Transformar a necessidade do cliente em produto. Adesão à modalidade de Venda Futura, onde o cliente compra o serviço hoje e garante poder usufruí-lo após a crise, a preços reduzidos – mais de 30% de desconto.

Passo 6: Expandir parcerias comerciais e estimular o ambiente colaborativo dentro setor.

 

RESULTADOS

O contato constante com os clientes e a oferta de bons descontos viabilizaram a implementação das vendas futuras, única fonte de faturamento do negócio neste momento em que o serviço náutico para turismo está impedido. As vendas hoje para a Wind Charter giram em torno de 15% do habitual para o período, o que é considerada uma grande conquista, já que a expectativa inicial era de 0%. O aumento das parcerias comerciais durante a pandemia permitirá que o negócio retome as atividades ainda mais forte: “quando as empresas se ajudam e firmam parcerias colaborativas, mais gente fatura, não só dentro do setor do náutico, mas no turismo como um todo. Isso aumenta o fluxo dos restaurantes, do comércio, dos hotéis e de diversos outros segmentos”, explica o empresário.

 

Tiago Jacobus
Representante Comercial da Wind Charter, sede em Porto Alegre com atuação principal em Paraty (RJ) e serviços na América Central, Ásia e Europa. Diretor da CDL POA.

 

 

___________________________________________________

A CDL Porto Alegre reafirma seu compromisso em acolher as necessidades dos varejistas, auxiliando-os a transpor os entraves da disseminação do coronavírus. A Entidade tem a convicção de que a unidade do setor fará grande diferença neste momento tão delicado e de apreensão para todos. Com a atenção e a disponibilidade de cada empresário, para fazer a sua parte, o setor sairá ainda mais forte desta crise.