Privatizações à vista

28

AGOSTO, 2017

Notícias

O governo anunciou na semana passada um pacote de privatizações, que incluem aeroportos, rodovias, portos, empresas de energia e outros, com previsão de ocorrência dos leilões até o fim do ano que vem. Segundo a equipe econômica do governo, esse pacote pode ajudar a recuperar a economia e deve dar mais segurança ao cumprimento da meta fiscal. Embora não deva ser a única medida no governo com o intuito de melhorar as contas, este será um importante passo na melhora fiscal do governo nos próximos anos, assim como deverá beneficiar a população com a melhoria de serviços prestados aos brasileiros, como foi com a privatização das empresas de energia e telecomunicações nos anos 1990.

Essa divulgação veio poucos dias após o anúncio do aumento da previsão do déficit fiscal, devido a uma previsão errada da receita para esse ano. O orçamento do governo funciona de maneira semelhante ao orçamento doméstico: quando gastamos mais do que recebemos em um mês, precisamos utilizar o que já havíamos guardado anteriormente, tomar um empréstimo ou vender alguns bens que não usamos mais para pagar a dívida. O pensamento deveria ser o mesmo para o estado, até porque, ao contrário do orçamento doméstico, não é o governo que cria a renda para pagar as dívidas (são os contribuintes). No entanto, continuamos a bancar uma máquina pública inchada e ineficiente, que nos pesou muito nessa última crise.

A privatização pode atuar aqui, já que gera uma receita no curto prazo, diminui o tamanho do estado e permite que haja ganho de eficiência do governo sem um custo a mais à população. Com isso, esperamos que essas ações nos ajudem a voltar a um ciclo de crescimento. A economia tem demonstrado sinais de recuperação, mas em uma velocidade menor do que foi a queda no início da recessão. É natural que essa resposta não seja tão rápido, pois acabamos de viver a pior recessão da nossa história.

*VICTOR SANT’ANA É ECONOMISTA DA CDL PORTO ALEGRE E POSSUI GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS ECONÔMICAS E MESTRADO EM ECONOMIA APLICADA PELA UFRGS.