Peso do Frete

24

SETEMBRO, 2018

Notícias

A preocupação com o impacto do tabelamento do frete sobre o comércio é o foco de estudo técnico realizado por Oscar Frank, economista-chefe da Câmara de Dirigentes Lojistas de Porto Alegre (CDL POA).

Frank esclarece que buscou ser conservador nos cálculos, ou seja, projetou com cautela, tendendo para valores menores. Mesmo assim, aponta que, por menor que seja o repasse, causa aumento significativo nas despesas para os estabelecimentos – principalmente para os pequenos, com menos de 20 funcionários, que acabaram nem entrando nos cálculos:

– Por exemplo, se for de 20% o reajuste, o impacto será de R$ 244 milhões (entre junho e dezembro de 2018, para o RS), sem levar em conta estabelecimentos menores, ou seja, é o impacto mínimo.

Esse valor equivale a 1,2% dos R$ 20 bilhões de despesas totais do comércio gaúcho estimadas para 2017. Outro fator que pode aumentar o peso de fretes e carretos é a distância do Estado em relação a grandes centros de distribuição. Os mais atingidos pelo tabelamento, de acordo com a Confederação Nacional do Comércio (CNC), são os estabelecimentos de atacado, varejo e comércio automotivo. Segundo Frank, por causa da crise econômica do país, comerciantes estão com baixas margens de lucro, o que faz com que não consigam absorver parte do valor.

*Coluna Marta Sfredo – Jornal Zero Hora


Veja também: