Dicas para economizar na compra do material escolar

20

JANEIRO, 2020

Notícias

A CDL Porto Alegre e a Boa Vista ajudam o consumidor a não estourar o orçamento com a compra do material, um dos principais gastos do início de ano

Tradicionalmente, janeiro é o mês em que as famílias dedicam tempo para a compra do material escolar, além de reposição de material básico, como lápis, caneta, borracha, etc. Pensando nessa necessidade, a CDL Porto Alegre e a Boa Vista oferecem dicas de como o consumidor pode economizar na época de volta às aulas, sem comprometer o orçamento.

Reposição

É justamente na reposição que os pais devem começar a fazer um levantamento do que é preciso comprar. Verificar o que sobrou no ano letivo anterior para ser aproveitado no próximo, assim como checar com amigos e familiares se possuem materiais que poderão ser usados ou trocados, principalmente em relação aos livros didáticos, que têm utilização obrigatória.

Pesquisa de preços

Após fazer o levantamento do que sobrou do ano anterior, é hora de focar na pesquisa de preços. Ela pode ser feita via internet ou presencial. É sempre bom procurar pesquisas feitas anualmente pelos Procons e divulgadas com nome do estabelecimento e preço de cada item. Isso possibilita ao consumidor ter noção do preço de cada item e já descartar as lojas cujos preços estão acima do mercado, economizando tempo e dinheiro.

Se quiser comprar pela internet, o consumidor deve considerar no custo total o valor do frete para ver se realmente o preço compensa.

Compra conjunta

Pais e responsáveis de alunos de uma mesma classe ou série podem fazer a compra conjuntamente em atacado. Comprando em quantidade maiores, geralmente há descontos compensadores, reduzindo os gastos no início do ano letivo. O grupo de pais pode, por exemplo, comprar uma caixa de lápis preto e dividir entre os alunos do grupo.

Reutilização

Além de alguns materiais escolares, muitas vezes é possível reutilizar o uniforme, mesmo que necessite de reformas simples, como um botão, baixar a barra da calça, etc.

Na questão uniforme, é imprescindível que os pais discutam com os responsáveis pelas escolas a existência de mais um fornecedor, para não encarecer muito o preço.

Quem tem filhos mais velhos, pode reaproveitar livros didáticos. Uma opção para não gastar tanto com livros é comprar diretamente da editora ou adquiri-los em sebos, se estiverem em boas condições e ainda atualizados, é claro.

Personagens

Se a criança insistir na compra de materiais como mochila, lancheira, cadernos, etc. de personagens que gostam, os pais ou responsáveis podem negociar com ela a compra de apenas um item. Isso porque eles podem custar três vezes mais só pelo fato de ter um personagem.

Esta é uma ótima oportunidade para conversar com a criança sobre a necessidade de economizar com o material escolar e como isso proporcionará a realização de outras compras, atividades ou lazer.

Pechinche

Pagar à vista tem a vantagem de não acumular dívidas, e é mais fácil negociar desconto.

Se não for possível, é importante evitar pagar juros no parcelamento. Alguns estabelecimentos dividem o pagamento em três vezes, por exemplo, sem cobrar nada a mais.

Promoções

É bom procurar nas lojas os itens em promoção, sem abrir mão da relação custo-benefício. É possível encontrar bons produtos de marcas pouco conhecidas.

Não comprar tudo de uma vez

Nem tudo que é solicitado na lista de material escolar vai ser usado no início do ano. Uma dica é verificar com a escola o que é de uso imediato e deixar para comprar os demais itens nos meses seguintes, aproveitando promoções que são realizadas fora da época de volta às aulas e a baixa de preço, que normalmente ocorre quando a demanda é reduzida.