Como lidar com as emoções e incertezas durante este período?

03

ABRIL, 2020

Notícias

O momento atual é permeado por muitas dúvidas, e, por natureza, o ser humano necessita de previsibilidade para atingir um bom nível de equilíbrio emocional. Entretanto, nos tempos que as informações mudam o tempo todo, como lidar com as emoções e incertezas durante este período?

Convidada pela CDL Porto Alegre, a especialista em psicologia organizacional e coach Cecília Nunes compartilhou dicas para que as pessoas possam lidar com as inseguranças deste isolamento social da melhor forma possível. A psicóloga dirigiu-se, especialmente, aos líderes de equipes que têm um papel especial na motivação e no equilíbrio de seus colaboradores. O conteúdo foi compartilhado em uma Live realizada no Facebook da Entidade, nesta sexta-feira (03).

Segundo Cecília, o empresário precisa enxergar seu negócio por diferentes prismas e considerar a saúde emocional dos seus colaboradores como uma de suas prioridades. “Em países como China e Itália, este tema já têm vindo muito à tona, as pessoas estão precisando de apoio para se recuperarem de tudo que viveram. O isolamento social traz uma sensação forte de solidão, e pessoas que estavam emocionalmente saudáveis passam a apresentar traços depressivos, insônia, ansiedade, crises do pânico entre outras doenças”, explicou.

Nesse cenário, o empresário deve pensar no que fazer para sentir-se melhor e como atingir um maior equilíbrio emocional compartilhado com seus colaboradores. Para isso, a psicóloga apresenta algumas sugestões. A especialista detalhou que a primeira delas é acolher a certeza de que todos estão passando pelos mesmos problemas, que as incertezas existem de fato e não se pode fazer nada para mudá-las. Assim, a mente deve focar no que pode ser feito hoje, criando rotinas e metas possíveis para que os sentimentos possam estar mais equilibrados. Outra dica é a aproximação das pessoas, com a utilização dos recursos tecnológicos, essenciais às reuniões diárias com as equipes, com os colegas, os amigos e os familiares.

O papel do empresário é conversar com seus colaboradores, entendendo as demandas individuais, fazer-se presente e ajudá-los pelo bem do negócio e de sua retomada. Para Cecília, no fim disso tudo, as pessoas estarão mais presentes ou mais afastadas da empresa e isso depende da atuação do líder. O gestor deve ser mais compreensivo para não gerar ainda mais impacto emocional, ocasionando menor produtividade e assertividade.

Como ferramenta-guia para os participantes, a especialista citou a autora Susan David, psicóloga P.h.D da Escola de Medicina de Harvard, responsável pelo conceito da “Agilidade Emocional” e elencou quatro de seus conceitos essenciais para serem aplicados neste momento.

1 – Reconhecer os pensamentos e as emoções e saber que os sentimentos não representam o que somos. Assim que perceber irritações, agitações ou outras alterações emocionais, deve-se parar, respirar e perguntar-se ‘o que estou sentindo agora?’. Assim, é possível não se deixar conduzir pelas emoções. O mesmo exercício vale para avaliar as emoções da equipe e buscar auxiliar os colaboradores e espalhando tranquilidade ao redor.

2 – Ganhar perspectiva, ou seja, afastar-se do sentimento e concentrar-se no próprio corpo, perguntando-se, ‘por que estou agindo assim?’. Raciocinar para que as emoções não conduzam as atitudes. É válido tentar ver os problemas com os olhos de outras pessoas, ampliar a visão e buscar novas alternativas.

3 – Ser coerente com os seus valores, buscar compreender o que é prioridade em sua vida e praticá-la. No cenário de crise, tentar se resinificar e tentar o seu melhor dentro do possível.

4 – Seguir em frente com os ajustes necessários. Buscar ações que possam tornar a vida mais leve. Todos estamos passando por esta fase juntos.

Cecília Nunes encerrou a Live recomendando que os empresários dediquem mais seu tempo aos colaboradores e não só aos resultados dos negócios. A partir do momento que for identificado algum problema mais significativo, deve-se buscar ajuda. Existem muito psicólogos prestando assistência virtual gratuita para apoiar as pessoas. A sua própria empresa, a Estalo Consultora, proporciona a “Hora de Acolher”, para esta finalidade. Para Cecília, seguir o caminho do acolhimento irá fortalecer os negócios.

 

___________________________________________________

A CDL Porto Alegre reafirma seu compromisso em acolher as necessidades dos varejistas, auxiliando-os a transpor os entraves da disseminação do coronavírus. A Entidade tem a convicção de que a unidade do setor fará grande diferença neste momento tão delicado e de apreensão para todos. Com a atenção e a disponibilidade de cada empresário, para fazer a sua parte, o setor sairá ainda mais forte desta crise.