fbpx

CDL POA analisa o movimento Black Friday

23

NOVEMBRO, 2018

Notícias

As lojas físicas pretendem comercializar o equivalente às vendas de todo o mês de novembro, garantindo promoções que realmente façam diferença no orçamento do consumidor.

 

O varejo brasileiro vive mais um Black Friday, neste dia 23 de novembro. A ação de descontos mundial vem se consolidando no calendário nacional com expressivo crescimento. A data já ultrapassou as fronteiras do e-commerce e está atraindo cada vez mais os players do varejo físico, mostrando que foi incorporada no hábito de compras dos consumidores de todo o país.

A geração de negócios para o varejo cresce a cada ano, com ênfase no mercado online. Quando ingressou no Brasil, em 2010, a data movimentou R$ 3 milhões, com a pequena adesão de 50 lojas virtuais. No ano seguinte, os valores comercializados chegaram a R$ 100 milhões. Já em 2017, a receita gerada foi de R$ 2,1 bilhões. Para 2018, a expectativa é crescer ainda mais, com uma movimentação financeira estimada em R$ 2,43 bilhões, apenas com compras pela internet. Uma previsão de aumento de 15% em relação ao ano passado, segundo a pesquisa Ebit/Nielsen.

Em Porto Alegre, as lojas físicas já encaram a data como a terceira mais importante no calendário anual, só atrás do Natal e do Dia das Mães. Modalidades como Black Week e Black Month também são instituídas pelas lojas, mas a maioria se prepara para as liquidações na sexta-feira. “Percebemos que alguns empresários com lojas físicas esperam comercializar no Black Friday o equivalente às vendas de todo o mês de novembro, garantindo promoções que realmente façam diferença no orçamento do consumidor, com descontos de até 70%”, afirma o presidente da CDL Porto Alegre, Alcides Debus.

Para a Entidade do varejo, a maioria dos consumidores adquire na Black Friday artigos pessoais e/ou bens duráveis com custo mais elevado, como mobiliário, eletrodomésticos, viagens, etc. “O percentual de antecipação das compras de Natal se mostra pequeno diante de toda a movimentação financeira gerada. A expectativa é que se mantenha o tradicional e expressivo fluxo de comercialização do mês de dezembro. A Black Friday é a possibilidade real de um incremento nas vendas. É preciso entender este movimento, planejá-lo com atenção e saber usufruí-lo da melhor forma”, analisa Alcides Debus.

A CDL POA também avalia que as promoções se propiciam por uma junção de fatores: estimular as vendas de fim de ano, liquidar os estoques, necessidades de consumo habituais do período e recebimento do 13º salário. “Esta é uma combinação perfeita para a geração de negócios, que impactam em incremento da economia, novos empregos e mais renda para a população”, finaliza o presidente da Entidade.