CDL POA compartilha insights da maior feira mundial do varejo no ‘Pós-NRF – Uma visão para o varejo 2020’

06

FEVEREIRO, 2019

Notícias

O evento reforçou o foco na valorização do humano e na experiência do cliente.

Na noite de quarta-feira (5), com auditório lotado, a CDL Porto Alegre realizou o evento ‘Pós-NRF – Uma visão para o varejo 2020′. Na sede da ADVB/RS, o encontro marcou a primeira iniciativa do novo presidente, Irio Piva, que, na abertura, anunciou a inovação como sua principal bandeira na gestão. Para maio deste ano, o dirigente comunicou o lançamento de um inédito programa que conectará startups com foco em soluções para o varejo.

Edmour Saiani, fundador da Ponto de Referência, consultoria para gestão estratégica de atendimento, começou seu painel declarando enfaticamente: “sem gente o varejo não existe”. No entendimento do empresário, a NRF National Retail Federation (NRF) Retail’s Big Show & Expo, que ocorreu em janeiro, em Nova Iorque, ressaltou a importância da participação humana para qualquer negócio e mostrou o papel fundamental dos colaboradores da marca que estão na ponta, em contato com o cliente. Como conselho a partir desta 109ª edição da maior feira mundial do setor, Saiani trouxe o conceito “menos tendência, mais pendência”, com o sentido de olhar para o próprio negócio e encontrar nele soluções inovadoras. Além do foco em pessoas, ecologia empresarial, transformação digital e respeito ao inconsciente coletivo fizeram parte dos pontos de atenção apresentados pelo palestrante.

O executivo da IBM, Enio Garbin, foi o segundo a subir ao palco e apontou a importância da empresa em que atua para o setor varejista. “A IBM trabalha para o varejo há mais de 100 anos, foi ela, por exemplo, que inventou o código de barras”, declarou. Garbin trouxe o tema das experiências vividas pelos clientes, que são cada vez mais exigentes em relação a novas vivências, devendo ser cada vez melhores que a anterior. Para o executivo, “estamos vivendo a era ‘pós-canal’ em que existe apenas o consumidor”. Sobre a tecnologia, Garbin lembrou que ela não está apenas no varejo, mas na sociedade, sendo inevitável sua utilização em qualquer segmento.

Em uma apresentação bem-humorada e recheada de previsões futurísticas provenientes do passado, Jorge Inafuco, da Oasis Lab, recebeu o desafio de falar sobre o futuro do varejo. Segundo ele, para imaginar o futuro deve-se levar em conta a técnica, a engenharia e também a ficção, que estimulam a imaginação a encontrar soluções inovadoras. De forma didática, o empresário apresentou cinco tendências para o futuro do setor. O Bopis (Buy online pick up in store), que significa comprar online e retirar na loja – já amplamente utilizada nos Estados Unidos, é uma importante ferramenta para ser aplicada no varejo. “Quem não tem Bopis deve pensar em ter um brevemente”, enfatizou. Robôs para utilização em back offices, como estoques; vending machines inteligentes; tecnologia de voz e economia circular com foco em sustentabilidade foram as outras recomendações que fecharam a fala de Jorge Inafuco.

O painel final, apelidado de “Barriga no Balcão” pelo vice-presidente de Marketing da CDL POA, José Roberto Resende, contou com a mediação do gestor de Marketing da CDL POA, Rafael Guerra e a presença de empreendedores que participaram do evento em Nova Iorque para darem dicas de aplicações simples e imediatas nos negócios. Cris Boaretto designer de Moda e sócia-proprietária da Unique Alfaiataria, contou que seu negócio teve início no e-commerce, e só em um momento seguinte sentiu a necessidade de um ponto físico. Portanto, para a empresária, o Bopis já é uma realidade que auxilia a reduzir custos e trazer seus clientes para conhecerem as novidades em exposição na loja. Outra dica aplicada pela empresária é a personalização de peças que faz com que clientes e colaboradores possam contribuir no processo criativo, a medida satisfaz o desejo dos clientes, fideliza funcionários e ainda auxilia a escoar seu estoque.

O diretor do Mercado Brasco, Arthur Bolacell, destacou o foco na experiência do cliente como impulsionador de inovação em seu negócio de minimercados de bairro. Bolacell contou que, em suas lojas, o cliente pode fazer seu próprio suco ou colher pés de rúculas e alfaces hidropônicas. Sublocar espaços para outras marcas também fez parte das dicas do empreendedor.

Adriano Braga, sócio da Upper Design, empresa de design estratégico voltado para o varejo, destacou a simplicidade de soluções como o ponto mais observado em sua visita à NRF. Para ele, nem tudo no evento é fácil de ser replicado nos negócios locais. Entretanto, encontrar soluções simples para problemas no varejo pode ser o mais difícil de fazer. Por isso mesmo, Braga foi enfático em sua dica: “visite sua loja, pelo menos uma vez por mês, como cliente”.

Ao encerrar o painel, Rafael Guerra destacou o novo formato proposto para os eventos da CDL POA, com um estilo mais descontraído e funcional para os participantes. “Estamos testando novos formatos para proporcionar novas experiências aos parceiros varejistas”, finalizou.