Um novo passo para a saída da crise

04

SETEMBRO, 2017

Notícias

Na última semana, foi divulgado o PIB do segundo trimestre de 2017. Os dados apontam para um crescimento ainda tímido no trimestre puxado pela alta no consumo das famílias. Pesquisadores do IBGE já cogitam a possibilidade de estarmos em um novo ciclo ascendente da economia brasileira, até porque emplacamos dois trimestres consecutivos de aumento no produto. No entanto, o que ainda preocupa é a queda do investimento, já que é um importante fator do crescimento no longo prazo, mas que deve voltar a crescer na medida em que diminuir a capacidade ociosa das empresas.

Os integrantes da equipe econômica do governo tem se mostrado confiantes no desempenho da economia nos próximos meses e atribuem a retomada do crescimento no PIB às suas ações, como a liberação das contas inativas do FGTS e as mudanças dos juros rotativos. Os fatores conjunturais que permitiram a volta do crescimento também passam por estabilidade dos preços, queda dos juros e pelo aumento da massa salarial, ainda que pequeno. Esse cenário permitiu que houvesse crescimento da renda disponível das famílias, o que por sua vez foi revertida em consumo.

Mas e agora, quais são os próximos passos? Com o país saindo da crise econômica, ainda precisamos sair da crise política para garantir uma trajetória sustentável de longo prazo. Ainda existem riscos de interferência política no desempenho do país, mas que não devem impedir a retomada do crescimento. O ajuste fiscal não foi consolidado até agora e ainda precisamos fazer algumas reformas, mas o lado positivo é que a preocupação com uma melhora política e econômica no Brasil está muito mais difundida hoje do que estava há alguns anos, o que é justamente decorrente do difícil período que vivemos até bem pouco tempo. Estamos saindo da crise mais fortes do que estávamos quando entramos nela.

*VICTOR SANT’ANA É ECONOMISTA DA CDL PORTO ALEGRE E POSSUI GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS ECONÔMICAS E MESTRADO EM ECONOMIA APLICADA PELA UFRGS.