fbpx

Assim como a indústria, varejo do RS teve o pior resultado do país em agosto

10

OUTUBRO, 2019

Notícias

Queda também é verificada quando considerados segmentos de veículos e de materiais de construção

Assim como a indústria, o varejo do Rio Grande do Sul teve também o pior desempenho do país em agosto. A queda, ou melhor, tombo das vendas foi de 7,6% sobre julho, já feito o ajuste sazonal. Na média nacional, houve um avanço de 0,1% no volume comercializado, segundo a pesquisa do IBGE.

Com isso, o patamar de vendas caiu para 96,8 pontos no Rio Grande do Sul. É o nível mais baixo desde setembro de 2017.

Na comparação com agosto de 2018, a queda nas vendas das lojas gaúchas é de 3,4%. Analisando os dados junto com a coluna Acerto de Contas, o economista-chefe da CDL Porto Alegre, Oscar Frank ainda ressalta que nunca houve uma queda tão intensa nessa comparação:

— Quando abrimos os resultados setoriais, vemos que a venda de combustíveis e lubrificantes caiu 30% em agosto, no comparativo com o mesmo mês de de 2018. Isso indica que o setor exerceu grande influência para o resultado também em relação a julho.

Frank observa que o IBGE tem feito revisões no desempenho de vendas de combustíveis, o que acaba afetando as análises sobre o momento do varejo.  Apesar disso, o economista pondera:

— De qualquer forma, se considerarmos o acumulado do ano, temos o terceiro pior resultado da década. Só não ganha dos anos da crise de 2015 e 2016. Essa dinâmica é bastante preocupante.

O acumulado de 2019 ainda traz um crescimento de 2,4% nas vendas. Em 12 meses, o avanço é de 2,9%.

A pesquisa do IBGE também calcula o chamado “Varejo Ampliado”, que inclui outros dois segmentos de lojas e caiu 3,1% sobre agosto de 2018. Houve recuo tanto na venda de veículos (-1,7%) quanto na de materiais de construção (-4,3%).

E nessa sexta-feira, o IBGE divulga o resultado do setor de serviços. Com as informações, o Banco Central calcula para a semana que vem o desempenho geral da economia gaúcha no mês de agosto.

Fonte: Site GZH – Coluna Giane Guerra