Ano Novo, Economia Nova

19

DEZEMBRO, 2017

Notícias

Seja bem-vindo 2018! Após um tortuoso período que a economia brasileira passou de 2014 até agora, o ano que vem será de recuperação e confiança, pois 2017 chega ao fim com o país fora da crise e com boas perspectivas.

O ano de 2018 será atípico, pois terá uma eleição à presidência que difere das anteriores no mínimo em 3 aspectos. Primeiro, pela situação política no país. A sociedade aumentou o seu descontentamento com os políticos tradicionais, que deverão mudar o seu discurso e suas atitudes para atrair mais eleitores. Segundo, pela importância da tecnologia na nossa vida social. Pela utilização das mídias sociais, nunca antes na história foi tão rápido e barato propagar suas ideias assim como acabar com sua reputação por esses meios. O político ou partido que souber usar melhor essas ferramentas terá um importante headstart na disputa à presidência. Terceiro, pela indefinição de candidatos com reais chances de vitória. Estamos a menos de um ano do sufrágio e ainda não temos nem certeza de quem será candidato, quanto mais de quem vencerá a disputa. Toda essa incerteza acaba por tornar a recuperação da economia mais lenta, mas não é um impeditivo.

O país terá fortes desafios no ano que vem antes de ir às urnas, pois além de outros reparos de política fiscal, a reforma da previdência precisa ser aprovada. As mudanças advindas dessa proposta ainda levarão um tempo para surtirem efeito nas contas públicas do país, mas essa reforma, se aprovada, contribuirá com a melhora da confiança, interna e externa, no futuro da economia. Além disso, o Brasil precisa continuar o combate à corrupção. Operações como a Lava-Jato precisam continuar, para inibir desvios de verba pública, que roubam o dinheiro do contribuinte que já banca uma alta carga tributária.

Embora os próximos anos sejam complicados e decisivos, o mercado e a sociedade se mostram confiantes no desempenho futuro do Brasil. A sociedade saiu fortalecida da recessão e com maior determinação para contribuir com a economia.

 

*VICTOR SANT’ANA É ECONOMISTA DA CDL PORTO ALEGRE E POSSUI GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS ECONÔMICAS E MESTRADO EM ECONOMIA APLICADA PELA UFRGS.