5 dicas para ter uma vida financeira mais saudável

10

JULHO, 2017

Economia

Estamos vivendo um período adverso da história do país, com incertezas políticas e econômicas. Em decorrência disso, vimos uma queda expressiva na renda e no emprego, o que afetou a vida financeira de boa parte dos brasileiros. Em períodos difíceis, a educação financeira pode fazer toda a diferença. Nesse caso, planejamento é a palavra chave de um bom entendimento de suas finanças pessoais. Uma boa estratégia é anotar todos as receitas e gastos (no papel ou em apps) para que, com o conhecimento do fluxo de caixa, pode-se antecipar o que acontecerá nos meses seguintes e, com isso, entender onde pode-se economizar. A seguir, estão algumas dicas do que fazer para ter uma vida financeira mais saudável.

Dicas:

  1. Pequenos cuidados podem fazer uma grande economia. Cuidando os nossos gastos de luz, água, telefone e outras economias dentro de casa, podemos salvar uma boa quantia de dinheiro todo mês. Embora individualmente esses cuidados poupem pouco dinheiro, eles fazem a diferença quando realizados ao mesmo tempo.
  2. Programe os grandes gastos com antecedência. Compras de datas comemorativas, viagens e sonhos de consumo são ítens que não costumam ser baratos. Com um bom planejamento antecipado desses gastos, há mais tempo para pesquisa de preços e para aproveitar promoções.
  3. Poupe. Sempre que sobrar, procure guardar um pouco de sua renda todo mês para possíveis imprevistos ou para realizar compras maiores adiante. Lembre que quanto mais você poupar e quanto maior for o tempo em que você passar poupando, mais dinheiro terá no futuro. Para não pesar no bolso, essa poupança pode começar com
    R$ 10 ou R$ 30 todo mês e ir aumentando.
  4. Fale com seus filhos e os ensine a ter um planejamento financeiro. Educação financeira pode (e deve) começar desde pequeno. Ensine seus filhos a ter responsabilidade com o dinheiro. Assim, eles serão adultos mais bem sucedidos. Mostre que dinheiro não dá em árvore e que pequenas economias dentro de casa (que ele pode fazer) melhoram o orçamento doméstico.
  5. Acerte suas contas. Se possível, tente nunca atrasar uma conta. Mas, se isso for impraticável, priorize as que têm as maiores taxas de juros. Dessa maneira, você pode evitar que as suas dívidas fujam do controle. Caso seja possível, procure renegociar para que sua vida financeira não seja excessivamente prejudicada.
*VICTOR SANT’ANA É ECONOMISTA DA CDL PORTO ALEGRE E POSSUI GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS ECONÔMICAS E MESTRADO EM ECONOMIA APLICADA PELA UFRGS.